Autor de mortes de agentes de segurança pública morre após atirar em policiais civis e militares em Ananindeua

 

Policiais civis do Núcleo de Inteligência Policial (NIP), com apoio de policiais militares, localizaram, nesta segunda-feira (12), em Ananindeua, na Grande Belém, o procurado Marcelo Ramon das Neves, de apelidos Marcelinho ou Macaco, com extensa ficha criminal por roubos, tráfico de drogas, latrocínio e apontado como autor de cinco homicídios, entre os quais, de três agentes de segurança pública. No momento da abordagem policial, Marcelo realizou disparos em direção aos policiais que revidaram atingindo o criminoso. Ele ainda chegou a ser socorrido com vida até o Hospital Metropolitano, onde não resistiu e morreu. A ação policial ocorreu, por volta de 16 horas, após investigações, para localizar o procurado contra quem havia três mandados de prisão em aberto.

Na ocasião, após a abordagem policial, realizada com apoio de policiais militares do Comando de Policiamento da Capital 2, do 24º Batalhão da PM e da 1ª Companhia, a equipe do NIP foi surpreendida por tiros de arma de fogo disparados por Marcelo de dentro da casa onde ele estava escondido. Após baleado, Marcelo foi socorrido pela equipe policial. Com extensa ficha criminal, Marcelo era apontado como autor de, pelo menos, cinco homicídios em Belém e Região Metropolitana. Durante a adolescência, “Marcelinho” foi apreendido, no ano de 2015, em duas ocasiões, por ter cometido atos infracionais de roubo, no município de Ananindeua.

No ano de 2018, já maior de idade, ele foi preso em Garrafão do Norte, nordeste paraense, pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. Em 2019, Marcelo foi indiciado em inquérito policial por ter cometido o roubo de uma lancha e diversos objetos, entre os quais, arma de fogo, no bairro do Tenoné, em Belém. Em fevereiro deste ano, Marcelo participou do roubo em um sítio de propriedade de uma advogada, localizada no Furo do Maguari em Ananindeua. Ele também é apontado por envolvimento no assalto a um restaurante flutuante, situado no mesmo local, no dia 31 de janeiro deste ano.

MAIS AÇÕES CRIMINOSAS Neste final de semana, em Belém, Marcelo liderou um grupo de assaltantes que cometeu, pelo menos, dois assaltos a pessoas que pilotavam motos náuticas na orla da capital. Segundo relatado pelas vítimas, o grupo agiu com violência. Todos portavam armas de fogo. Após divulgação em redes sociais da ação criminosa, outras pessoas relataram que, no último domingo, o mesmo grupo criminoso liderado por Marcelinho praticou outros assaltos, desta vez, na área do bairro do Curuçambá, em Ananindeua. Ainda, na ficha criminal, Marcelinho tinha um processo por latrocínio (roubo seguido de morte) praticado no município de Ananindeua no ano de 2016.

Ele também respondia por roubo de carga de um caminhão em 2018, na cidade de Moju (PA), e ainda três homicídios contra agentes de segurança pública. Entre eles, está o policial militar Isaías Fernandes da Silva Filho, morto em 17 de novembro de 2017. Outra vítima é o ex-policial militar Orcimar de Oliveira Castro, que, na ocasião do crime, trabalha como segurança privado de uma empresa de cosméticos. Ele foi morto em 04 de janeiro de 2019, durante assalto, no bairro do Curuçambá. Além dos militares, Marcelinho também é apontado como envolvido na morte do guarda municipal de Belém, Marcley Rosário de Souza, no dia 05 de março de 2019, no Curuçambá. Marcelo era autor também de outro homicídio. A vítima é Adair Farias da Silva que foi morto em 19 de dezembro de 2018, também no bairro do Curuçambá.