Polícia Civil promove seminário sobre eleições em Belém

 

A Polícia Civil do Pará promoveu, nesta quinta-feira (13), na Delegacia-Geral, em Belém, um seminário denominado "Atuação da Polícia Civil do Pará nas Eleições 2018", como forma de orientar aos policiais civis que irão atuar na operação das eleições deste ano, na capital, região metropolitana de Belém e interior do Pará. Participam do evento delegados de Polícia Civil lotados em Delegacias, Seccionais e Divisões Especializadas de todo Estado, além de integrantes das Corregedorias de Polícia Civil do interior. A abertura do evento ocorreu por volta de 9 horas, com as presenças do secretário de Estado de Segurança Pública, Luiz Fernandes Rocha; delegado-geral da Polícia Civil, Claudio Galeno; presidente da Assindelp (Associação de Entidades Integradas de Delegados de Polícia); delegada Maria José Moraes, presidente dos Sindicato dos Delegados de Polícia Civil, e promotor de Justiça, José Edvaldo Pereira Sales, do Ministério Público do Pará.

O seminário encerra hoje, por volta de 16 horas. O promotor de Justiça Sales abriu o seminário com a palestra de tema "Crimes Eleitorais", para orientar e esclarecer aos policiais civis sobre os tipos de delitos no âmbito da Lei Eleitoral. No decorrer da manhã, haverá a palestra do delegado Uálame Machado, superintendente da Polícia Federal no Pará, sobre "Atuação das Polícias Federal e Civil durante as eleições".

Ainda, durante o dia, haverá as palestras do secretário adjunto de Gestão Operacional da Secretaria de Segurança do Pará (Segup), coronel André Cunha, sobre a atuação da Segup nas eleições; a palestra do corregedor geral da Polícia Civil, delegado João Bosco Rodrigues Junior, e, para encerrar, o diretor de Polícia do Interior, delegado Silvio Maués, vai abordar sobre a atuação da corporação policial no interior do Estado durante o pleito eleitoral.

Como em todos os dias de votação, a Polícia Civil terá atuação suplementar em relação aos crimes eleitorais e no apoio à Polícia Federal. Nos municípios onde não houver a presença da PF, a Polícia Civil ficará responsável pela apuração e coleta de provas para comprovar crimes eleitorais e nas investigações iniciais e instauração de inquérito, além de poder efetuar autos de prisão em flagrante e conceder fiança nos crimes afiançáveis por Lei.