Operação policial é deflagrada para fiscalizar e coibir a prática de crimes contra o meio ambiente no rio Pacajá

 

A “Operação Caxiuanã” da Polícia Civil, deflagrada na última sexta-feira (29), resultou na instauração de procedimentos contra os investigados David dos Santos Pacheco, marinheiro fluvial de convés, e Rafael Melo Ferreira, encarregado de equipamentos. A operação iniciou no dia 18 de novembro e encerra nesta segunda-feira (02), onde estão sendo realizadas fiscalizações com a finalidade de coibir a prática de crimes contra o meio ambiente pelo desmatamento, extração e transporte ilegal de madeira e caça predatória. 

A equipe composta pelo relator e demais policiais civis integrantes da operação, deslocaram-se em lanchas pelo rio Pacajá, a fim de localizar embarcações transportando ilegalmente produtos de origem vegetal, ocasião em que foram encontradas duas balsas e um empurrador com carregamento de madeira em tora de aproximadamente 700m3, em espera, ambos escondidos no braço do rio Pacajá

As balsas, “Mand II” e “Iara” e o empurrador “Ferinha” foram apreendidos pelos policiais e conduzidos para o município de Portel, onde a madeira foi toda desembarcada no porto da empresa Lamitel. Diante dos fatos a autoridade policial determinou o registro do presente boletim e em seguida a instauração do procedimento legal dos acusados. 

A ação foi coordenada pela Divisão Especializada em Meio Ambiente – (DEMA), e realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes Contra Fauna e Flora, em ação conjunta integrada pelos órgãos de segurança pública do Estado como: Polícia Civil-DEMA e DIPFLU, Polícia Militar-GU FLUVIAL e DTIC, GRAESP ( Grupameto Aéreo de Segurança Publica), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade – SEMAS, e mais servidores do ICMBio da Flona Caxiuanã.

Por Luiz Claudio Oliveira (ASCOM PCPA)