Polícia Civil deflagra operação "Lar Seguro" para combater crimes ocorridos no convívio familiar em Breves

 

A Polícia Civil deflagrou, ontem, 13, uma operação que resultou na apreensão de um adolescente por ato infracional de lesão corporal e no cumprimento de um mandado de prisão por descumprimento de medidas protetivas de vítima de violência doméstica, em Breves, na Ilha do Marajó. Realizada por policiais civis da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) e da Superintendência Regional de Breves, a ação policial denominada "Lar Seguro" teve por objetivo retirar agressores dos lares na tentativa de harmonizar a convivência familiar. Sob coordenação dos delegados Monike Brasil, titular da DEAM de Breves, e Carlos Olavo Meschede, da Superintendência de Breves, a operação se estendeu por todo o dia.

Um dos alvos foi um adolescente de 15 anos que foi apreendido em flagrante por ter agredido fisicamente o próprio sobrinho, de 12 anos, deixando a vítima com hematomas nas costas. O crime repercutiu em toda vizinhança que ficou bastante revoltada. O adolescente foi enquadrado em Auto de Apreensão por Ato Infracional semelhante ao crime previsto no artigo 129, do Código Penal, por lesão corporal. No outro caso, Valmir Marques dos Santos, 38 anos, foi preso, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, por ter descumprido medidas protetivas determinadas pela Justiça ao tentar se aproximar da ex-companheira.

A delegada Monike Brasil explica que, há algum tempo, o acusado vinha ameaçando a mulher por não aceitar o fim do relacionamento. Diante disso, explica a policial civil, a DEAM requereu as medidas protetivas de urgência em favor da vítima. No entanto, Valmir dos Santos desobedeceu a ordem judicial ao tentar manter contato com a mulher. Dessa forma, a Justiça decretou a prisão do acusado que agora vai ficar preso para responder pelo crime. A delegada explica que a solicitação de medidas protetivas a mulheres vítimas de violência doméstica podem salvar vidas.

"Uma vez concedida, se não respeitadas, as medidas protetivas geram a prisão do agressor que se afasta compulsoriamente da vítima que, por sua vez, retorna à sua paz e sua vida", detalha. Ela ressalta que a violência existente entre as pessoas com vínculos familiares ou que moram juntas no mesmo local deve ser combatida com prioridade. "Tal criminalidade afeta não só os envolvidos, mas os filhos, pais, parentes e todos da família. É uma realidade triste que precisa do apoio do Estado", enfatiza. Ela ressalta que a Polícia Civil vai continuar a realizar a operação Lar Seguro, em Breves, para estar mais próxima da comunidade e tentar levar a paz àqueles que precisam.