Polícia Civil inicia curso de formação para candidatos do concurso público para cargo de delegado

 

Delegado-geral palestra aos candidatos ao cargo de delegadoCerca de 150 candidatos aprovados na primeira etapa do concurso público da Polícia Civil para o cargo de delegado de Polícia iniciaram, nesta sexta-feira, 10, o Curso de Formação na sede do Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), em Marituba, na região metropolitana de Belém.

Coordenado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol), o curso é a última etapa do certame que visa formar, até o primeiro semestre de 2018, novos policiais civis para atuar nos municípios paraenses. 

Outros 500 candidatos aos cargos de escrivão, investigador e papiloscopista, já estão no curso de formação na Acadepol desde o mês de agosto.

VEJA MAIS IMAGENS CLIQUE AQUI

Secretário Jeannot Jansen palestra aos alunos do Curso de FormaçãoO primeiro dia dos alunos do curso de formação para cargo de delegado contou com as palestras do delegado-geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino de Sousa, e do secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Pará, Jeannot Jansen, no auditório do Iesp. 

A programação foi coordenada pela equipe da Acadepol, tendo à frente a delegada Marlise Tourão, diretora da Academia.

O curso de formação para cargo de delegado de Polícia tem duração de quatro meses com previsão de encerramento em março de 2018. Durante o curso, os candidatos irão adquirir aprendizados teóricos e práticos que irão proporcioná-los atuar na carreira policial.

Os amigos Juliano e Thiago vieram do Paraná para disputar o concursoO curso é eliminatório. Entre as disciplinas do curso estão investigação policial moderna, inteligência policial, mediação de conflitos, Direitos Humanos, qualidade no atendimento ao público, relacionamento com a imprensa e mídias sociais, entre outras. 

A previsão é que ainda, no primeiro semestre de 2018, a Pará passe a ter novos 650 policiais civis, o que vai representar uma considerável renovação nos quadros de policiais civis no Estado.

"Um terço do total de policiais civis terá menos de 5 anos de Polícia. Já no cargo de delegado, a renovação será de 50% do total de profissionais da área", ressalta o delegado-geral.

Em sua palestra, o delegado-geral fez uma exposição aos alunos sobre a Polícia Civil, apresentando a instituição, as unidades que formam a corporação e a missão da corporação no Estado que completou 141 anos de existência em 2017. Ao destacar os avanços na Segurança Pública nos últimos anos, o delegado-geral enfatizou as reformas e construções de Unidades Policiais em todo Estado, desde o início da atual gestão do Estado, em 2011, o que contribuiu para a melhoria da estrutura das Unidades Policiais do Estado. Ele destacou, entre as novas unidades, a Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) inaugurada no ano passado e que já apreendeu mais de uma tonelada de drogas, e o Propaz Mulher em Belém, considerado referência nacional no atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e onde elas recebem todos os atendimentos necessários no mesmo local, como atendimento na Delegacia da Mulher, atendimento psicológico, Assistência Social, perícia, atendimento médico, assistência jurídica pela Defensoria Pública, entre outros. 

Quanto aos avanços na estrutura da Segurança Pública, ele destacou, entre outros serviços, a instalação do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) que conta hoje com seis helicópteros e um avião. Para o secretário Jeannot Jansen, a maior qualidade que um servidor público precisa ter é a dedicação, o compromisso de servir à sociedade. Jansen enfatizou a responsabilidade que será dada a cada um ao seguir a carreira policial. "Vamos dar a vocês a autoridade da força coercitiva do Estado. Assim, é obrigação da Academia de Polícia procurar o limite de cada um. Vocês precisarão ter a capacidade de dominar as emoções. A vida inteira de vocês vai depender disso, de ir ao limite da necessidade para controlar a força", salienta, ao reforçar que a Polícia Civil é hoje uma das instituições em franca ascensão em nível de Brasil.

Os amigos paranaenses Thiago Muravski, 27 anos, e Juliano Corrêa, 30, estudaram juntos para disputar o concurso. Nascidos em Cascavel (oeste do Paraná), eles contam que focaram as atenções para ir atrás do sonho de se tornarem delegados de Polícia. Thiago explica que se concluiu o curso de Direito, em janeiro de 2016, e, a partir de então, começou a estudar focado em seguir a carreira policial. "Cheguei a me inscrever no concurso da Polícia Civil de Goiás, fiz a prova, mas não fui aprovado. Quando veio o concurso da Polícia Civil do Pará, fiz a inscrição", explica o candidato que chegou a buscar informações sobre o Pará com alguns amigos que residem no Estado.

Candidato Theo Schuler é de BrasíliaO brasiliense Théo Reis Schuler, 30 anos, conta, por sua vez, que viu no concurso da Polícia Civil para o cargo de delegado uma oportunidade de seguir a carreira policial que tanto almeja. Com alguns familiares seguindo a carreira de policial, ele escolheu o Direito visando seguir a carreira.

Foi então que, ao tomar conhecimento do concurso público da Polícia Civil do Pará, diz ele, não pensou duas vezes para se inscrever. "Já cheguei a percorrer alguns municípios paraenses, como Salvaterra, por exemplo. E sempre procurava ir à Delegacia para conhecer", detalha. A paraense Maria Julia Almeida da Silva, 33, natural de Belém, sempre sonhou em ser delegada e, por isso, optou pelo curso de Direito. 

Há cinco anos, ela passou no concurso de agente da Polícia Federal no Pará e, desde então, trabalhava na Unidade da PF em Santarém, até abrir o edital para o concurso da Polícia Civil. "Foi então que decidi me inscrever visando a carreira de policial civil", ressalta a candidata, que vê com muita expectativa o curso de formação de policiais civis.