Polícia Civil prende acusado de fazer ameaças de morte via e-mail em Belém

Objetos apreendidos

 

A Polícia Civil prendeu, nesta sexta-feira, 14, durante operação para cumprimento de mandados judiciais de prisão temporária e de busca e apreensão, o arquiteto Leonardo Fernandes Lassalvia, 38 anos, acusado de fazer ameaças de morte a uma vítima via e-mail. Ao ser preso, ele foi flagrado com duas armas de fogo, munição, um silenciador e uma luneta de mira. A prisão foi realizada no bairro da Campina, centro de Belém, durante operação da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT) e do Núcleo de Inteligência Policial da Polícia Civil.

Responsável pela investigação e pela operação, a delegada Karina Campelo, explica que, em março deste ano, um dos sócios de uma construtora, localizada na Travessa Rui Barbosa, da qual o acusado fazia parte, esteve na DPRCT para registrar boletim de ocorrência de que estava sendo vítima de extorsão e de ameaças de morte enviadas por e-mail por uma pessoa até então desconhecida e que usava um e-mail sem identificação. Nas mensagens, explica a delegada, essa pessoa acusava a vítima de ter se apropriado de projetos arquitetônicos de sua autoria.

Para tanto, o autor das ameaças passou a exigir da vítima o pagamento da quantia de R$ 3 milhões, caso contrário mataria a vítima e a todas as pessoas de sua família. As denúncias passaram a ser investigadas pela equipe de policiais civis da DPRCT. Segundo a delegada, as ameaças acompanhadas com a exigência do pagamento passaram, com o tempo, a ficar mais graves até que o acusado foi até em frente da empresa da vítima e fez disparos de arma de fogo em direção à fachada do prédio. Durante as investigações, os e-mails com as ameaças foram "printados" e entregues à delegada que identificou o autor das mensagens ameaçadoras.

A policial civil apurou que os e-mails eram enviados por Leonardo Lassalvia a partir de um "cyber café" - lanchonete com acesso à internet - localizado próximo da casa dele. A partir das investigações, a delegada requereu à Justiça o mandado de prisão do acusado com base nas provas colhidas durante o inquérito. No momento da operação para cumprir o mandado de prisão do acusado e o mandado de busca e apreensão na casa dele, os policiais civis revistaram Leonardo e encontraram o acusado portando um revólver calibre 38 carregado de munição.

No bolso da calça do acusado, foram encontrados dois recarregadores de munição. Dentro da casa, foram encontrados um rifle calibre 22, um silenciador, uma luneta de ajuste de mira e grande quantidade de munições para arma de fogo e alvos usados por Leonardo para treinar tiro. Leonardo vai responder pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e por posse de acessórios de uso restrito.