Polícia Civil cumpre mandado de prisão preventiva de acusado de duplo homicídio em Belém

 

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, 21, Cleidton Vinagre da Silva, 28 anos, de apelido “Fofão”, acusado de um duplo homicídio, no bairro de Fátima, em Belém. O crime ocorreu no último dia 11, dias das mães. As vítimas foram Amadeu Barbosa Filho, 40 anos, e Maria Aparecida da Silva Lima, 41. O acusado foi preso, na casa de familiares, na rua da Cerâmica, em Marituba, na Grande Belém. Ele está com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça. Uma denúncia levou a equipe policial da Divisão de Homicídios (DH), da Polícia Civil, até o local, onde o acusado estava escondido. Conforme o delegado Lenoir Cunha, responsável pelo inquérito policial, o crime ocorreu na passagem Oliveira Belo, com rua Coaracy Nunes, pela manhã.

Em depoimento, o pai do acusado relatou que o filho havia ido ao local para lhe defender de Amadeu e de um comparsa, Artur Jones dos Santos Silva, que tentavam lhe assaltar. A testemunha disse que, ao ser atacado pelos dois, com gargalos de garrafa, correu para dentro de sua casa, para se esconder. Momentos depois, o acusado chegou ao local armado e passou a desferir disparos em direção a Amadeu e Artur. Um dos tiros atingiu Amadeu e outros dois disparos atingiram Maria Aparecida, que passava no local a caminho de uma mercearia onde iria comprar pão. Após os tiros, o acusado fugiu. Maria Aparecida e Amadeu foram levados ao Hospital do Pronto-Socorro do Umarizal, onde ela não resistiu e faleceu no mesmo dia.

Amadeu permaneceu internado até a quarta-feira passada, dia 14, quando veio a óbito. Artur, o outro envolvido na ocorrência, foi apresentado na Divisão de Homicídios, para prestar depoimento. Como era foragido da Justiça, ele ficou preso. Ao ser preso, Cleidton alegou ter agido em legítima defesa, dizendo que estava defendo o pai e a mãe. As investigações foram presididas pela equipe do delegado Lenoir Cunha, formada pelo escrivão Flávio Trindade, investigador Macedo e motorista policial Silvio, com apoio da equipe de inteligência da DH, comandada pelo delegado Lúcio Flávio Filho. Após passar por perícia de corpo de delito, o acusado permanecerá recolhido em uma unidade do Sistema Penitenciário do Pará.