Polícia Civil prende homem que extorquia mulheres na Internet para não divulgar fotos íntimas

 

A Polícia Civil do Estado do Pará, por meio da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT), deu cumprimento, nesta quarta (27), após diligências aos municípios de Bragança e São Miguel do Guamá, nordeste paraense, ao mandado de prisão preventiva expedida pela 1ª Vara de Inquéritos e Medidas Cautelares de Belém do Pará, contra Sidney Feitosa Lopes. O investigado foi preso pela prática de extorsão praticada por meio das redes sociais na modalidade “revenge porn” ou “vingança pornográfica”. "O criminoso criava perfis fakes nas redes sociais para adquirir confiança de mulheres que eram atraídas com o intuito de obterem uma relação intima pela Internet a ponto de enviarem vídeos e fotos íntimas, conhecidos por nudes", explica a delegada Vanessa Lee, titular da DPRCT.

Após a conquista das fotos íntimas, ele provocava terror psicológico nas vítimas e passavam a ameaçá-las com divulgação do material nas redes sociais e sites de pornografia, os quais somente não seriam divulgados mediante pagamento de quantias em dinheiro para o investigado. Além de usar vários perfis "fakes" em redes sociais, ele criou uma pessoa jurídica com a finalidade de utilizar uma Internet para ter os benefícios da empresa com a finalidade de obter uma internet mais veloz e eficaz para cometer os delitos e, assim, dificultar sua identificação.

Durante o cumprimento do mandado, a equipe de investigação da Divisão constatou que o criminoso tinha a conduta como prática empresarial. "Era uma de suas formas de conseguir dinheiro. Além disso, foi possível identificar mais vítimas, inclusive, duas são residentes no Estado de São Paulo", informa a policial civil. Com a prisão dele, ressalta a delegada Vanessa Lee, a Polícia Civil cumpre seu dever de coibir a criminalidade com o uso de recursos tecnológicos, especificamente, para combater as violências de gênero por meio das redes sociais.