Três membros de facções criminosas são presos durante Operação da Polícia Civil nos Estados do Pará e Amazonas

 

A Polícia Civil do Pará, por meio do Núcleo de Inteligência Policial (NIP) e Delegacia de Repressão a Facções Criminosas (DRFC), prendeu três pessoas durante a "Operação Cabeças III", deflagrada na manhã desta terça-feira (08), no município de Santa Isabel do Pará, no estado do Pará e em Manaus, no Amazonas. 

No município de Santa Isabel do Pará, dois homens foram autuados em flagrante delito, na residência que servia de base para a mesma facção criminosa armazenar entorpecentes e monitorar a atividade policial por meio de rádio "HT". Ambos vão responder por tráfico de drogas e por posse de equipamentos de telecomunicação utilizados de forma irregular.

Já no Estado do Amazonas, os agentes da PC, deram cumprimento a um mandado de prisão contra um homem investigado por fazer parte da cúpula de uma facção criminosa de âmbito nacional, a qual atua no Estado do Pará. Contra o mesmo, havia mandados de prisão pelos crimes de homicídio qualificado, roubo e associação ao tráfico. Além do faccionado ter sido autuado em flagrante pelo crime de falsidade ideológica. 

As investigações iniciaram há seis meses, resultando na ação desencadeada nesta manhã. Quatorze Policiais Civis do Pará participaram da operação, sendo que uma equipe com 04 agentes, na cidade de Manaus, os quais tiveram o apoio da Polícia Civil do Amazonas. Os demais, atuaram no município de Santa Isabel.  

Para o Delegado-Geral da Polícia Civil, Walter Resende, essa é mais uma ação contundente no combate ao crime organizado: “Foram meses de investigações que resultaram nesta importante etapa da operação. Desta forma, desarticularam mais um grupo de criminosos que tentou, mas não conseguiu se instalar em nosso Estado. É mais tranquilidade para o povo paraense”, disse o DG.

Durante a ação, foram apreendidos 02 rádios HTs, cerca de 20 kg de maconha, 05 kg de pedra de oxi, avaliados em aproximadamente R$130,00 mil reais, balança de precisão, sacos plásticos, tesoura e apetrechos utilizados no embalo e preparação da droga para venda, além do valor de R$ 1.850,00 (mil oitocentos e cinquenta reais) em espécie.